Lançamento de publicação é mediado por debate na Facom/UFBA

A publicação intitulada A construção da violência na televisão da Bahia, fruto da pesquisa realizada pelo Centro de Comunicação, Democracia e Cidadania (CCDC/UFBA), foi lançado na última quinta-feira (11) durante o Seminário Observatórios da Mídia e Direitos Humanos. A pesquisa, realizada a partir de parceria entre a Facom/UFBA, a ONG Cipó e o Coletivo Intervozes, monitorou os programas Se liga Bocão e Na Mira por seis meses e identificou violações aos direitos humanos nos dois programas baianos. O livro foi distribuído ao público presente no Seminário e em breve será disponibilizado ao público geral.

Para além do lançamento da publicação, o Seminário teve como objetivo discutir as metodologias de monitoramento de mídia realizadas no Brasil por cerca de vinte e quatro instituições. Vale ressaltar, no entanto, que, dentre este número, apenas nove observatórios estão ativos, como indica Edgard Rebouças, professor da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES) e um dos convidados do evento. Rebouças é coordenador do Observatório da Mídia Regional, grupo vinculado à Universidade Federal do Espírito Santo que se tornou uma experiência consolidada no setor, tendo atuado em áreas transversais como saúde, consumo, regulamentação, violência, gêneros, educação, infância e juventude.

O Observatório da Mídia Regional foi criado em 2006 na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) a partir da campanha “Quem financia a baixaria é contra a cidadania”
e migrou para a UFES só em 2009. Hoje ele funciona como grupo de pesquisa registrado no CNPq e realiza suas atividades de forma autônoma, ou seja, não está vinculado a nenhuma faculdade específica – nem à de Comunicação, como é o caso do Observatório do CCDC/UFBA. O Observatório da Mídia Regional realiza pesquisas a partir de programas de rádio e TV, jornais e revistas, analisando o conteúdo informativo, publicitário, político, religioso e de entretenimento produzido pelos canais. Relatórios sobre o conteúdo exibido são produzidos e encaminhados para autoridades e imprensa. São realizados ainda seminários e eventos, a fim de apresentar questões relevantes sobre as pesquisas realizadas. As publicações do grupo são disponibilizadas no site www.ufes.br/observatoriodamidia.

O seminário

Os participantes do Seminário concordam que a garantia ao direito à Comunicação precisa vencer uma primeira barreira: ser enxergada como fundamental pelos brasileiros. Precisa ser inclusa na agenda dos direitos básicos do cidadão, pois está garantida na Constituição Federal. Nesse sentido, as universidades devem fazer parte desta batalha, a fim de formar comunicólogos e jornalistas responsáveis com a causa, como defende Emiliano José, deputado federal e convidado para a mesa de abertura do Seminário. A realização desta discussão no auditório da Faculdade de Comunicação da maior universidade da Bahia, juntamente com o apoio ofertado pelo diretor da faculdade ao tema – Giovandro Ferreira é coordenador do CCDC/UFBA – são os primeiros indícios que tal panorama caminha para a mudança. Mas eles não podem ser os únicos, é necessário que o currículo acadêmico dos estudantes de Comunicação sejam reforçados por disciplinas que abordem a temática.
Adicionar imagem

Comenta aí...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s