Encontro reúne pesquisadores da cultura no RJ

Por Adriana Santana

De 30 de outubro a 01 de novembro foi realizado no Rio de Janeiro o II Encontro Nacional de Produção Cultural. Três estudantes da Faculdade de Comunicação da UFBA representaram a universidade apresentando seus trabalhos. Uma das pesquisas expostas foi a do Observatório Universitário da Cultura Popular, projeto executado pela Agência Experimental em Comunicação e Cultura.

Foto: Lê Mello

Produzido pelo Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ), o evento contou com a participação de diversas instituições que possuem cursos relacionados à área cultural. O IFRJ conta com o Curso Superior de Tecnologia em Produção Cultural, oferecido no campus de Nilópolis, cidade localizada na Região Metropolitana do Rio de Janeiro.

Entrar em contato com pesquisas de outras universidades é fundamental para o fortalecimento do campo da produção cultural. Na ocasião do evento, tivemos oportunidade de conhecer diversas pesquisas e também as grades curriculares dos cursos de outras instituições, como a do IFRJ e da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA), que possui o Bacharelado em Produção e Política Cultural.

Uma das pesquisas apresentadas interessou especialmente aos membros da Agência Experimental que foram ao Rio, dado o seu nível de semelhança com o Observatório Universitário da Cultura Popular. Apresentado por Daniel Barros e Vanderson Nunes, o trabalho Música, Educação e Cultura na Baixada Fluminense: uma pesquisa participativa narrou a experiência dos estudantes do IFRJ no mapeamento de grupos musicais da Baixada Fluminense. A região escolhida para a execução do projeto se parece com aquelas que escolhemos em terras soteropolitanas: a Baixada enfrenta desigualdades econômicas e sociais, ineficiência do poder público na execução de políticas que atendam à região e, apesar da diversidade de expressões culturais desenvolvidas, quase que inexiste centros culturais na localidade.

Daniel Barros e Vanderson Nunes apresentam trabalho no Encontro. Foto: Lê Mello

O diálogo entre as pesquisas baiana e carioca se deu no último dia do encontro (01) e ambas as partes demonstraram interesse em prolonga-lo, pois é nítida a semelhança entre as metodologias desenvolvidas. As experiências devem ser compartilhadas a fim de construir um conhecimento colaborativo. O trabalho se soma a experiências anteriormente conhecidas por nosso grupo que dialogam de algum modo com o Observatório Universitário da Cultura Popular, a exemplo do Observatório de Favelas e Universidade das Quebradas. Estas iniciativas também são cariocas, mas ainda não tivemos oportunidade de estabelecer diálogo com elas. Talvez o contato com os estudantes do IFRJ seja o primeiro passo para que tais redes se estabeleçam.

Pesquisas baianas

Adriana Santana apresenta o Observatório. Foto: Jordana Feitosa

Além do Observatório, foram apresentadas durante o encontro as pesquisas de Jonas Nogueira e Caio Cruz. Jonas apresentou o Modelo de Briefing para Elaboração de Projetos Culturais, desenvolvido junto à Produtora Júnior, e Caio apresentou o projeto Produção e Gestão Cultural na Bahia, coordenado pela professora Gisele Nussbaumer na disciplina Oficina de Gestão Cultural do último semestre.

Ugo Mello, formado em Produção Cultural e mestrando em Educação pela UFBA, também participou do encontro, mediando o painel sobre Mercado de Trabalho e representando a UFBA na plenária que decidiu o local de realização do próximo encontro.

Bem-vindo à Salvador

A plenária final do evento expôs a Carta do Rio de Janeiro, resultado do I Encontro Nacional de Produção Cultural, ocorrido em 2011. O documento ainda continua atual, portanto, foram feitas apenas alterações na sua redação, não tendo sido necessária a confecção de uma nova carta.

Passada esta etapa, a mesa se voltou para a escolha da próxima cidade a sediar o encontro, tendo como candidatas Salvador (BA), Natal (RN) e Jaguarão (RS). Salvador foi escolhida por unanimidade dos presentes, pela boa articulação que a UFBA estabeleceu desde a primeira edição e por abrigar um dos mais antigos cursos de Produção Cultural do país, já tendo demonstrado a qualidade das pesquisas desenvolvidas.

Desde já, a Agência Experimental se compromete a auxiliar na produção do III Encontro e se mantem de braços abertos para receber os cariocas, gaúchos, potiguares, paulistas, pernambucanos, maranhenses […] e todos que virão à terra de todos os santos, encantos e axés.

Obs¹ A partir da próxima turma, o curso do IFRJ será denominado Bacharelado em Produção Cultural.

Obs² Vale a pena divulgar também o trabalho do PET/Conexão de Saberes em Produção Cultural do IFRJ, o primeiro grupo do Programa de Educação Tutorial do Ministério da Educação (MEC) a se voltar especificamente para esta área.

4 comentários

  1. Cumprimentos pela matéria! Acrescentro que recebemos o resultado nesta semana com a aprovação da nossa proposta ” PET do Curso de Produção e Política Cultural”. Unipampa em Jaguarão – RS. Saudações cordiais, Alan

Comenta aí...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s